sábado, março 29, 2008

Começou a contagem decrescente, para o dia de abertura ao público da Cripta Arqueológica do Castelo de Alcácer

Como já quase todos sabem, vai ser no próximo dia 18 de Abril, por volta das 11 horas.
Vai estar presente, a Secretária de Estado da Cultura, Drª Paula Fernandes dos Santos.
Ao contrário do que é normal nos meus blogs, desta vez não vou inserir nenhuma foto (porque desejo que seja novidade até ao fim).
Trata-se de um espaço museológico unico em Portugal.
É o resultado do trabalho de uma vasta equipa e parceria, desde 1994 até ao presente ano de 2008, entre a Autarquia de Alcácer e o ex-IPPAR, (agora IGESPAR).
Os trabalhos arqueológicos foram coordenados por A Cavaleiro Paixão e João Carlos Faria e o espaço museológico que vai ser inaugurado, vai ser uma justa homenagem a estes dois colegas.
Num apontamento muito pessoal, dado que acompanhei todo o processo, antes da escavação, os trabalhos de escavação desde 1994 e depois a fase de musealização até ao presente, importa realçar o trabalho e grande empenho da Esmeralda Helena Gomes e do Frederico Tatá (IGESPAR).

2 comentários:

Anónimo disse...

Faltou referir que a inauguração irá ter a presença do ministro da cultura, José António Pinto Ribeiro. Sei da sua presença através da notícia vinculda pelo Jornal Voz do Sado. Já agora pergunto se já uma hora marcada e se esta inauguração estará aberta á população. A sua abertura será uma grande homenagem ao Dr. João Carlos Faria, o seu sonho de uma vida que infelizmente já não está entre nós para ver este momento.

Antonio Rafael Carvalho disse...

Sim, é verdade. Vai estar presente o Ministro da Cultura. De facto fui, e vou continuar muito lacónico em relação à Cripta, porque estou muito ligado a ela; - desde o Antes da Escavação uns meses quando falamos sobre a necessidade de escavar o espaço (1994), os problemas que surgiram, o arranque da escavação, a escavação e depois a definição da parte museológica (Após 1999), escolher as peças, definir os periodos cronológicos, etc. Na realidade a ideia do Museu é do Dr. João Faria, assim como a necessidade de escavar o espaço. lembro-me claramente do dia (em 1995, no meio da obra, estava um dia de sol) em que o João Faria me disse todo entusiasmado, que na reunião de obra tinha sido aceite (a custo) que iria nascer um espaço museológico e como ele seria. Depois foi a novidade do Santuário Pré-Romano e Romano e como foi muito difícil inseri esse novo espaço no projecto museológico então defenido. Depois e em colaboração com os colegas Cavaleiro Paixão e João Faria, demos início ao estudo da documentação arqueológica Islâmica exumada, publicada em revistas da especialidade e apresentação em congressos (Braga em 1994, Almada em 1996, Zamora em 1996, Caceres e Lisboa em 2000, Palmela 2000, Silves em 2005, etc) Sobre a hora e outros detalhes da inauguração, ainda não sei. Quando souber, direi alguma coisa.